Compartilhe
Ir em baixo
Nick no RRPG : Handom
Masculino
Mensagens : 1
Pontos : 524
Personagem : Sid
Ofício do Personagem : Aspirante á Hunter
Ver perfil do usuário

Sid Votary

em Sex Jul 07 2017, 17:37
Nome do personagem: Siddartha Votary
Idade: 13 Anos (29/02)
Sexo: Hominho
Altura: 1,52 M
Peso: 41 Kg
Tipo sanguíneo: O-
Categoria de NEN:  (Definido a partir da personalidade e decisões,ações e forma de como representou sua personalidade in-game )

Sonhos e ambições: Sid deseja conhecer o mundo, tanto para si quanto para sua mãe. Ele ama conhecer coisas novas, devido a sua curiosidade e não demora a se entediar com as mesmas coisas e situações. Ele também acredita sua mãe continua viva através de cada nova experiência que tem, o impulsionando ainda mais á explorar tudo. Sid deseja tornar-se um Hunter como meio para conseguir explorar lugares restritos e apesar de não dizer ou demonstrar, no fundo gostaria de vingar a morte de sua mãe.

Personalidade: Grande parte da personalidade e da ética/moral de Sid é devido á sua mãe, cujo ele tem o maior respeito e admiração. Ele é calmo, amigável e sincero além de bastante curioso e se maravilha facilmente com as coisas. Apesar de não ser afetado por negatividade, prefere ficar perto de pessoas mais animadas, positivas e amigáveis. Sid é extremamente contra tirar vidas sem motivos e nem gosta de ferir os outros, mas entende a necessidade de conflitos no mundo e não impõe seu pensamento nos outros. Ele pode ser bastante quieto dependendo da situação, mas gosta de interagir com o que lhe interessa, seja isso lugar, objeto ou pessoa. É um sonhador, mas não se deixa enganar. É bem vivido na realidade à sua volta, conhece bem mentirosos e já esbarrou uma vez ou outra com monstros. Gosta de meditar e acredita que ao fazer, se torna mais focado, mais hábil e mais capaz de entender as maravilhas do mundo. Odeia mentir tanto que é ruim nisso, apesar de já ter omitido a verdade com sucesso. Ele não é muito inteligente, não tendo um estudo formal, mas é bastante sábio e vivido. Gosta de ajudar os outros, especialmente as pessoas que realmente merecem ajuda. Já sobreviveu da ajuda de outros, então tende a estender o mesmo tratamento. Sid não é contra seguir o que os outros dizem, porém se ele tiver um pensamento próprio sobre o assunto ele raramente muda de opinião, não só isso, mas recentemente tem se tornado mais e mais teimoso, já lhe disseram que está na "aborrecência". Ele raramente impõe seus pensamentos ou defeitos nos outros, caso discorde, respeita a opinião da pessoa e em casos mais extremos se afasta. Sid raramente julga ou guarda rancor, mesmo nessas situações extremas que ele se afaste por incompatibilidade de opiniões. Assim como ele não se impõe nos outros, ele não deixa que os outros se imponham nele.

---Primária
Físico - Ruim ( +1 ponto)
Destreza - Normal (- 1 ponto)

---Secundária
Percepção - Bom ( -2 pontos)
Mental - Normal (- 1 ponto)


Potencial - Ótimo ( -4 pontos)



História -

 A maioria, quando pensam em suas infâncias, se lembram da aconchegante casa de seus pais. Comida boa sempre pronta na hora, escola, lazer, tudo que eles sempre quiseram de bom na mais calma rotina. Esse é o oposto da vida de Sid e Maha.

[Mahamaya] -- Explorar o mundo, não tem coisa mais divertida.

 Sua mãe costumava dizer e Sid não discordava. Os dois viveram os dez primeiros anos de Sid viajando pelos continentes, nem sempre da melhor maneira possivel, mas sempre explorando. Cavernas que brilhavam no escuro, planaltos no formato de prego, cachoeiras em cima de cachoeiras, uma cidade sobre a água, florestas de cores vivas como, verde e vermelho, criaturas de aparência inimaginável. Tal maneira de viver sempre deixava o pequeno Siddharta mesmerizado, principalmente por que o garoto se tornou muito curioso, quase tanto quanto sua mãe, Mahamaya. A vida era simples, ou pelo menos Maha fazia parecer. Costumeiramente os dois tinham que fazer coisas perigosas e ilegais para sobreviver. Mas ela sempre fazia parecer brincadeira, algo mais leve e aceitável. Pelo menos nos primeiros anos.

[Mahamaya] -- Você tem que aprender a se defender, filho. Eu posso te ensinar.


 E de fato ela o fazia. Tudo que Sid aprendeu durante sua infância foi devido á sua mãe. O jovem nunca frequentou escola, mas ela o ensinava para que Siddharta fosse mais esperto que qualquer garoto de sua idade e ele talvez fosse. Sabendo dos perigos da vida, Maha emancipou o pequeno ainda bem jovem, para se caso algo acontecesse com ela o garoto não ficasse preso no sistema. Quase que uma premonição. Durante essa época ela também começou a ensinar o pequeno a se defender, assim como muitas realidades do mundo, preparando o filho ainda bem cedo.

[Mahamaya] -- Se chama Votary Maine...É uma arte marcial ensinada pelos nossos ancestrais, todos de nossa família aprendem. É muito útil, principalmente por não ensinar a ferir os outros.

 Sid não era muito focado para aprender a lutar. Pelo menos nos primeiros anos. Estava mais preocupado com a estranha borboleta flutuando á sua volta, ou ao som da cachoeira á distância. Mas com o tempo ele foi aprendendo, principalmente conforme a realidade, a parte feia, foi atingindo o garoto. Ferimentos, mentiras, fugas e dor eram constantes. Siddharta, apesar de jovem, tomou esse choque de realidade melhor que muitos, provavelmente por ter vivido com tais experiências a vida toda.
 A vida era boa, apesar de não ser simples. Tinham muitos problemas pelas estradas, mas tinham uns aos outros e isso fazia tudo ficar fácil. Isso mudou quando Sid tinha onze anos.

[Mahamaya] -- Não se esqueça de arrumar sua cama. Não é por que estamos saindo do hotel que vamos deixar tudo bagunçado. Checou sua mochila?

[Siddharta] -- Sim, verifiquei duas vezes, está tudo aqui, pronto para partir...Assim como a cama, acabei de terminar.


 Sid entrou na cozinha do pequeno apartamento onde haviam dormido na noite passada. O lugar era pequeno, mas aconchegante, talvez por estarem juntos. Maha estava guardando alguns talheres, pois tinham acabado de jantar. Sua mochila estava no chão, perto dela e a de Sid em suas costas. Era mais um final de dia, dos confortáveis, no qual eles não tinham que acampar ou dormir na rua.

[Mahamaya] -- Perfeito! Agora se...

 Maha parou de falar abruptamente. Sem mover a cabeça seus olhos se viraram para a janela. Sid estranhou e se aproximou para olhar, mas antes que sequer virasse o rosto para fora da casa percebeu um movimento de sua mãe. Pressentindo o movimento, Sid esquivou para trás, mas não rápido o suficiente, sentiu um molhado em sua bochecha esquerda, levou a mão á ela e viu o sangue.

[Mahamaya] -- Corra...Filho, corra agora!

 Sid viu ela com uma faca em mãos e percebeu que ela tinha o atacado. Porém suas palavras não faziam sentido com seus movimentos. Enquanto ela pedia para que ele corresse, ela lentamente se movimentou na direção do garoto. Sentindo uma pressão assassina no ar e vendo o nervosismo de Maha, Sid deu alguns passos para trás e fugiu, entendendo que se continuasse ali estaria em perigo.
 Momentos depois, o vidro da cozinha quebrou-se e Maha foi puxada para fora. Ela levantou-se, com alguns cortes superficiais no corpo. Ainda com a faca em mãos ela olhou para o feitor do último ataque e após identificar um homem careca, de pele bronzeada e com roupas exóticas, Maha pôs-se a rir.

[Mahamaya] --- AHHAHAHAHAHA! Eles mandaram você? AHHAHAHA! Após todos esses anos! Quantos mesmo? Dez, doze? E eles mandam um covarde para nos matar!


O tom de sarro de Maha mudou completamente na última frase, para um tom sério e um tanto macabro. O careca simplesmente deu um passo afrente, mantendo seu rosto inexpressivo.

[???] -- Por que agora? Você manteve o garoto por todos esses anos, por que decidiu ataca-lo agora?

[Mahamaya] -- O refém sabe muito, não posso deixa-lo cair nas mãos de um covarde.

[???] -- Entendo...Pelo visto ele não é um inimigo...Isso facilitará muito a parte de trazê-lo...


 Ao ouvir as palavras do estranho Maha esboçou um leve sorriso, como se algo que ela esperasse tivesse acontecido. Ela olhou para a faca e em seguida para o careca.

[Mahamaya] -- Vamos terminar com isso, tenho que encontrá-lo. Venha, covarde!

 Apenas fechando a expressão um pouco, o careca avançou na direção de Maha. Ele era extremamente rápido, mas mesmo assim parecia que ela conseguia acompanhar todos seus movimentos. No momento seguinte em que avançou, o careca já estava de frente para Maya, batendo o punho na barriga da mesma com a palma da mão, em um estilo muito similar à que ela havia ensinado Sid. Ela cambaleou para trás com a mão livre protegendo o estomago, olhou para o careca e viu que ele sorria por ter atingido o golpe em cheio. Ela abriu seu sorriso maníaco novamente e mostrou a faca para o oponente, completamente ensanguentada. O careca olhou para a própria barriga e viu nas suas roupas um longo corte e uma larga quantia de sangue começando a escorrer. Com um olhar de fúria, avançou para cima de Maha novamente.

[???] -- Você está acabada sua maldita. Hoje você morre sozinha!

[Siddharta] -- ELA NÃO ESTÁ SOZINHA!!


 Pulando das sombras da noite, Siddharta gritou essas palavras enquanto caia na direção do carecão. Sid sabia que tinha algo de estranho acontecendo, por isso resolveu voltar e por sorte, chegou a ponto de pegar o inimigo desprevenido. Sid acertou a cara do careca com a palma da mão, usando o Votary Maine. O golpe não foi muito efetivo, mas serviu para distraí-lo e fazê-lo perder o equilíbrio. O careca caiu na direção de Maha, que avançou para finaliza-lo com a adaga. Um corte profundo era audivel e antes do careca cair por falta de forças ele sorriu para a mulher. Maha sentou-se no chão em seguida, e logo Sid conseguiu ver que a adaga estava fincada no peito dela, e não do careca.

[Siddharta] -- Mãe!!

Sid correu para o lado da mãe e tentou pensar em alguma maneira de ajuda-la. Infelizmente o garoto não sabia o que fazer em uma situação dessas, logo lágrimas começaram a surgir de seus olhos e escorrer sobre seu rosto. Maha segurou o colarinho do garoto e puxou-o para perto, dizendo com a voz fraca e com os olhos aguados.

[Mahamaya] -- Perdão...

[Siddharta] -- Não, por favor mãe...

[Mahamaya] -- Eles vão voltar...Eles querem que você acenda a chama primordial...Fique atento, filho...Eles vão mentir...Te enganar...E muito perigoso...Lá...No...Escuro...

[Siddharta] -- MÃE?!

 Maha perdeu a consciência por uns momentos, mas logo voltou a si. Ela ainda assim parecia meio perdida. Sid continuou ao lado dela, tentando segurar as lagrimas que não paravam de sair de seus olhos.

[Mahamaya] -- Te amo...Cof!..Nós nos divertimos, não?...Me prometa...Me prometa que sempre irá se divertir, filho...

[Siddharta] -- Mãe...Por favor...Eu prometo...Mas, mãe...


Ao longe o som de sirenes surgira, pareciam estar vindo na direção em que se encontravam. Maha empurrou o filho para longe, caindo para trás no processo.

[Mahamaya] -- Vá...Não me veja assim...Vá antes que...Cheguem...

Obedecendo os últimos desejos de sua mãe, Sid levantou-se em choros, deu um último beijo em sua mãe e despediu-se, correndo para longe do lugar. O som das sirenes aumentava e quase perdendo a consciência Maha ouviu.

[???] -- Você me enganou...Acho que mereço...

 Ela olhou para o lado e viu à distância o careca, imóvel com uma poça de sangue no chão á sua volta. Pelo visto os dois morreriam ali, o que era muito irônico.

[???] -- Você deveria ter contado...A verdade...Os pais dele ainda o procuram...

[Mahamaya] -- EUCHF! Eu sou...A única parente dele...Eu não ia, não podia...Deixar ele passar pelo que nós passamos...Icaro.

[Icaro] -- É assim que deve ser...Nós temos que liga-la...Imagine o que aconteceria...E se...E-ele for...Escolhido?

[Mahamaya] -- Salve suas forças...

[Icaro] -- Não...Essa é a última...Chance...De...Eu...Sempre...Te...


 Maha olhou novamente para o corpo imóvel de Icaro e viu que o braço que tentava segurar sua barriga caiu mole, sentiu um último peso no coração antes de partir.

[Mahamaya] -- Eu sei...Eu..sei...



Notas -

- Sid tem viajado sozinho desde então, sobrevivendo da mesma maneira de antes, porém sozinho. Ele não encontrou ninguém que o esteja caçando, apesar de não ter nenhuma maneira de identifica-los além das rupas que o carecão usava. Ele já foi barrado várias vezes de entrar em áreas e descobriu que a maneira mais fácil de conseguir acesso é tendo uma licença hunter. Está tentando conseguir uma desde então.

- Sid, Maha e Icaro são de uma pequena ilha no exterior do continente. Essa ilha possui algumas pequenas vilas e todos são membros da Gautama Sect(Seita de Gautama). O mundo desconhece sobre essa seita, assim como seus objetivos. Sid é filho de dois grandes membros dessa seita e era um candidato promissor para se tornar o escolhido. Todas as crianças passam por um treinamento rigoroso e no final do mesmo, um teste para decidir ele é esse escolhido. O resultado desse teste define toda a vida da criança na sociedade em que vivem, o que pode ser muito bom ou ruim. Uma vez que” o Escolhido” é encontrado ele recebe alguns anos de treinamento e ele mais os melhores membros da vila partem ao continente negro para reacender a “chama primordial”.

-Mahamaya não é a mãe de Sid, ela o sequestrou quando ele ainda era bebê, para que o mesmo não passasse pelo rigoroso treinamento que o culto de sua ilha demandava de todas as crianças. Ela queria trazer mais crianças consigo, mas só conseguiu trazer o Sid. Ele, no entanto, vê ela como a melhor coisa do mundo, especialistas poderiam dizer que ele tem síndrome de Estocolmo.

- Mahamaya sempre foi contra a cultura da ilha, por isso, ela era visto com desgosto por todos e nunca teve amigos nem um marido. Icaro, no entanto, era amigo dela quando muito jovens e depois de adulto ambos perceberam que se amavam. Porém ele nunca teve coragem de tornar nada oficial para não perder sua posição na seita. Quando ela partiu ele ficou extremamente ferido e jurou encontrá-la.

- Sid é procurado pelos membros de sua ilha. Mas nem todos que estão o procurando são inimigos. Em resumo apenas alguns membros da seita, os mais experientes, são permitidos sair da ilha, normalmente para realizar trocas. Ou seja, as pessoas que estão me procurando são experientes, porém eles tendem a agir sozinhos quando estão fora da ilha, para não chamar atenção. Outra coisa importante a se dizer é que tudo que acontece na ilha é supostamente segredo e o Sid e Maha estarem mundo afora é uma quebra de segurança para eles. Por isso muitos os vêem como inimigos, mas alguns podem acreditar que ele foi sequestrado e na verdade precisa ser salvo. Os pais de Sid provavelmente fazem parte desse grupo. Existem também os que não se importam, além de muitas outras variantes para você se divertir criando. Como Icaro morreu antes de poder falar com o resto da seita, eles não sabem que Sid está viajando sozinho, nem que Maha está morta.

- Estilo de luta: Votary Maine
Descrição: Estilo de combate que consiste em golpes rápidos em pontos específicos do corpo humano para desabilita-lo sem causar ferimentos permanentes. Golpes desse estilo consistem em ataques com partes planas do corpo, como mãos e pés, para aumentar a área de impacto e assim espalhar mais a onda de choque, muito útil para afetar órgãos, assim como golpes mais focados, realizados com os dedos, que permitem aumentar o impacto no ponto específico escolhido causando muito mais efeito, porém em uma área menor, muito útil para inutilizar músculos e pontos de pressão. Ao invés de se usar força bruta para machucar a carne, o Votary Maine usa o impacto do golpe para afetar os órgãos, músculos e pontos de pressão por dentro, enfraquecendo o oponente por algum tempo virtualmente ignorando capacidades defensivas do oponente e não necessitando que o atacante seja forte e capaz de causar muitos danos. Esse estilo de luta é bastante complexo e mestres nele são capazes de causar morte com um simples toque em seu oponente, mas antes de ensinar as técnicas, um aprendiz do estilo aprende a treinar a mente através de meditação e estudo da musculatura, órgãos e pontos de pressão.  
O que usa: Todo o corpo, apesar das mãos serem melhores para realizar os golpes do estilo. O tato é extremamente importante também, ajudando á encontrar os pontos certos que deve atingir o oponente, assim como saber se o golpe foi efetivo.
Restrição: Só funciona em seres vivos, seres vivos com anatomia distorcida ou desconhecida dificultam o uso dessa técnica, mas não é impossível. É importante apontar que essa habilidade afeta o corpo diretamente, então resistência á dor e tortura não impedem que a pessoa perca o movimento dos braços ao relaxar os músculos ou desmaie com uma pancada na fonte, apesar de diminuir a dor causada por tais golpes.

- Sid tem conhecimento geral de meditação, fluxo do chi no corpo além de conhecimento sobre musculatura e pontos de pressão relacionados á isso (Basicamente ele entende de meditação e massagem da cultura oriental)

- Seu único pertence de valor é um brinco que ele usa na orelha esquerda, o brinco é pequeno e dourado, com circulo dourado acima de um circulo prateado. Após sua fuga, achou esse único brinco perdido dentre seus pertences, é sua única conexão com sua mãe.

https://2img.net/h/i1081.photobucket.com/albums/j354/sirhandom/Hunter_zpsjo0oivzs.png
https://2img.net/h/i1081.photobucket.com/albums/j354/sirhandom/AvatarNoClan_zps0dlollco.png
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum